menu superior

Onde tudo (não?) se encaixa

Young woman having fun in outdoor pool
© fotografixx/Westend61/Corbis

E quando finalmente a gente para pra pensar, as coisas vão fazendo sentido e se encaixando lentamente. As peças do quebra-cabeça vão fazendo sentido e você começa a ver que o erro não está nas peças, e sim, em você que não percebeu onde encaixá-las. A cada dia que convivo mais ainda com as pessoas chego a conclusão de que, graças a Deus/universo/Budha (o que você considerar), no fundo no fundo as pessoas não são completamente iguais. Tá, isso pode parecer  óbvio pra você e 90% da população da Terra, mas já parou pra pensar como as vezes questionamos as outras pessoas, comparamos, brigamos, exigimos, classificamos como se todas fossem o mesmo padrão? Já parou pra pensar que A não é B, mas você sempre exige que A faça o que B faz? (mesmo que inconscientemente) De tanto que a gente aprende o óbvio, as vezes parece que se torna invisível aos nossos olhos; ignoramos, deixamos passar. Ainda bem que ninguém é igual. Ainda bem. Que graça teria comer o mesmo prato com o tesão de sempre? Cada comida gera um novo sentimento, cada passo não é o mesmo do anterior e assim vai.  Ambiguidade na frase? Talvez. Isso serve também.

Algumas pessoas passam a vida esperando que as outras pessoas lhe dêem aquilo que lhe falta, a “tampa da panela”, a “metade da laranja”... E mal chegam a conclusão de que ninguém preenche ninguém, ninguém completa ninguém, ninguém dá o que lhe falta, cada um tem o que é seu e pronto, não tem o que tirar, preencher, completar. Existem pessoas escrotas por ai que se aproveitam desse tipo de mentalidade vulnerável, como sanguessugas elas sugam toda a sua vitalidade, sua vontade de estar com alguém, sua vontade de ser solidário e ter companheirismo. E é ai que entra o jogo de cintura com a vida, de saber desviar de gente que te inferioriza, que te suga e faz mal. Não fique parado aí pensando no que pode ou como pode fazer pra que alguma coisa que esteja findada ao fracasso, dê certo. As vezes simplesmente não dá e você tem que aceitar. Ter cabeça o suficiente pra enxergar que já deu e que você não é obrigada a passar por isso. Pare de comparar fulano com cicrano, de idealizar alguém e querer que a pessoa real tenha as características que você sonhou... Pare de achar que as peças que não são do jogo vão se encaixar, elas não vão. Simplesmente isso.

Larisse Felix 

2 comentários:

  1. Muito bom o texto, certamente A nunca vai ser B. ^^

    Bju

    nuvemdeorigami.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

Obrigada pelo comentário! S2